Grupo de Apoio ao Prematuro

A maior parte das pessoas já viu e se emocionou com a foto de um bebê prematuro muito pequeno sobre a mão de um adulto. A imagem revela o grau de fragilidade daquela vida e o quanto ela necessita de cuidados especiais para sobreviver. Mas, apesar de comovente, muitas pessoas desconhecem o quanto essa luta pela vida pode ser difícil. Segundo o Ministério da Saúde, a prematuridade ainda é a principal causa de morte em bebês com até um mês de vida.

Mas com os avanços da ciência e uso de tecnologia sofisticada, é possível reduzir os índices de mortalidade de prematuros graves e minimizar as chances de sequelas futuras.

Esse é o objetivo do Viver e Sorrir ao apoiar as atividades desenvolvidas nas Unidades Neonatais coordenadas pela Disciplina de Pediatria Neonatal da Escola Paulista de Medicina/Unifesp: captar recursos junto a empresários e sociedade para investir em materiais e equipamentos de tecnologia avançada que permitam aumentar as chances de sobrevida desses bebês.

São quatro hospitais públicos: Hospital São Paulo, Hospital Municipal Vereador José Storopolli, Hospital Estadual de Diadema e Hospital Geral de Pirajussara, que atendem gestantes pertencentes a famílias carentes. Muitas apresentam complicações de saúde como hipertensão arterial, diabetes, infecções, lúpus, transplantes de órgãos e carências nutricionais que as predispõe a partos prematuros.

Juntos, esses hospitais realizam cerca de 9000 partos por ano, sendo que, em média, 15% dos bebês nascidos são prematuros de risco e necessitam de cuidados especiais e intensivos. São, portanto, muitas vidas que precisam de ajuda.

Esse investimento visa também melhorar as condições de trabalho e de aprendizagem, uma vez que as quatro Unidades Neonatais servem como campo prático de aprendizado e capacitação de médicos e outros profissionais de saúde que estão se especializando no cuidado a estes pacientes.

Por esse motivo, o apoio de empresários e sociedade é fundamental para que a Disciplina de Pediatria Neonatal disponha dos recursos necessários para oferecer a um número cada vez maior de prematuros a chance de VIVER E SORRIR com saúde e qualidade de vida.

Apoio às Unidades Neonatais

Nesses anos de trabalho, o Viver e Sorrir, com a ajuda de empresários, viabilizou aquisições importantes para as Unidades Neonatais que apoia, desde materiais de uso diário, especiais para prematuros, equipamentos modernos de tecnologia avançada, até investimentos nas áreas físicas que permitam melhorar a qualidade da assistência oferecida.

Entre as principais ações está a reforma geral na Unidade Neonatal do Hospital São Paulo, um dos mais importantes e prestigiados polos formadores de profissionais de saúde do país. Com o apoio de Chella e Moise Safra, a Unidade foi totalmente reformada e sua área física ampliada de 244 para 423 m², permitindo aumento da capacidade de internação de 25 para 31 leitos de internação, divididos em cuidados intensivos, intermediários, isolamento e Método Canguru, além da implantação do Posto de Coleta de Leite Humano. A reforma permitiu oferecer aos recém-nascidos, mães e profissionais mais conforto e melhores condições de trabalho para que haja uma assistência de excelência.

Entre os equipamentos doados aos hospitais por intermédio do Viver e Sorrir destacam-se três bilirrubinômetros que propiciam a avaliação da icterícia, problema frequente nos prematuros, com coleta de quantidade mínima de sangue. Também foram doados quatro aparelhos de ultrassom e ecocardiograma de última geração, um para cada hospital afiliado, que permitem a realização de exames com grande precisão para diagnósticos à beira do leito. Este é um diferencial importante para os prematuros que necessitam de diagnóstico e tratamento precoce das doenças cardíacas, neurológicas e gastrointestinais, para evitar ou minimizar os riscos de complicações, mas que devem sofrer o mínimo de manipulação nas primeiras 72 horas de vida para evitar alterações hemodinâmicas e de pressão arterial, fatores de risco para hemorragia cerebral e sequelas futuras.

A doação de vestuário e mobiliário para implantação do Método Canguru também foi viabilizada para algumas Unidades pelo Viver e Sorrir. Esse método consiste em posicionar o prematuro em contato “pele-a-pele” com a mãe ou pai, e tem como benefícios: melhora do sistema imunológico do bebê, regularização da respiração, prevenção de infecções, manutenção da temperatura corporal, além da estimulação do aleitamento materno e o fortalecimento do vínculo entre a mãe e o bebê.

O aprimoramento de recursos humanos, físicos, equipamentos e materiais é essencial para que os profissionais consigam reduzir a mortalidade e minimizar a possibilidade de problemas determinantes para sequelas futuras.

Ainda há muito para fazer em cada uma das Unidades Neonatais, por isso a parceria entre universidade, sociedade, empresários e o Viver e Sorrir é tão importante para dar a esses prematuros de risco as chances de Viver e Sorrir com mais saúde e qualidade de vida.