Grupo de Apoio ao Prematuro

A maioria das mulheres ao se tornar mãe, sente um misto de felicidade e medo. Medo de não saber cuidar direito daquele bebê tão pequeno, mas já tão amado. Quando esse bebê é visivelmente mais frágil, porque nasceu antes da hora, com baixo peso e tem mais riscos de apresentar problemas de saúde e sequelas importantes, esse medo torna-se ainda maior. É nessa hora que as mães precisam de apoio e orientação para que seus bebês prematuros tenham acesso aos cuidados especiais que necessitam desde a infância até a adolescência.

Foi com esse objetivo que a Universidade Federal de São Paulo – Unifesp criou, há mais de 30 anos, o Ambulatório de Prematuros. Coordenado pela Disciplina de Pediatria Neonatal, o Ambulatório oferece acompanhamento multiprofissional especializado aos prematuros nascidos com peso inferior a 1500g no Hospital São Paulo, Hospital Municipal Vereador José Storopolli e Hospital Estadual de Diadema.

A equipe do Ambulatório é formada por pediatras, neurologistas, oftalmologistas, dermatologistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogas, odontologistas, nutricionista e assistente social.

Mas o Ambulatório ou a “Casinha” como é carinhosamente chamado, vai muito além do acompanhamento com profissionais de saúde especializados em prematuridade. Ela é um local onde esses bebês e suas famílias são acolhidos e recebem total apoio para enfrentar esse momento tão delicado.

E esse apoio tornou-se ainda mais especial com a criação do Viver e Sorrir – Grupo de Apoio ao Prematuro.

A maioria das crianças em acompanhamento pertence a famílias que enfrentam dificuldades sociais e precisam de ajuda para aderir corretamente ao tratamento. Ao buscar recursos para auxiliar a Disciplina de Pediatria Neonatal no desenvolvimento de suas atividades e também para oferecer apoio social às famílias, o Viver e Sorrir tem contribuído para melhorar ainda mais o trabalho desenvolvido no Ambulatório.

Foi com a ajuda de empresários, por exemplo, que o Viver e Sorrir conseguiu viabilizar uma reforma para melhorar as condições de atendimento, adequando a recepção e ampliando o número de salas. Com a reforma foi possível implantar o serviço de oftalmologia com consultório totalmente equipado e também o consultório de odontologia, sob a responsabilidade de uma equipe de odontologistas voluntários.

Atualmente, estão em acompanhamento no Ambulatório cerca de 900 crianças e adolescentes entre 0 e 19 anos de idade, sendo que a cada ano, cerca de 100 novas crianças nascidas prematuras no Hospital São Paulo e unidades afiliadas ingressam para atendimento.

Como funciona o Ambulatório e o apoio do Viver e Sorrir: atendimento no momento certo

Os bebês nascidos prematuros apresentam maior risco de problemas e sequelas que podem ser evitados ou minimizados se tratados precocemente. Entre os mais frequentes estão as deficiências motoras que atingem 12% dos prematuros, déficit visual observado em 10%, déficit auditivo em 6%, alterações de linguagem em 21%, alémde alterações de comportamento como déficit de atenção e hiperatividade em cerca de 20%. Além disso, os prematuros, em geral, apresentam com maior frequência déficits de crescimento, anemia,doençasgastrointestinais e respiratórias.

Atuar de forma precoce, nesses casos, faz toda a diferença. Por isso, a primeira consulta é agendada logo após a alta hospitalar, quando além das orientações dos especialistas da Unidade Neonatal, a mãe recebe um DVD produzido especialmente pelo Viver e Sorrir no qual os profissionais do Ambulatório de Prematuros explicam os riscos da prematuridade e a importância do acompanhamento em cada uma das especialidades.No Ambulatório os prematuros são atendidos de forma rotineira pelos profissionais de todas as áreas.

É a partir daí que a atuação do Viver e Sorrir no Ambulatório de Prematuros torna-se fundamental para que os prematuros possam aderir corretamente ao tratamento.

Já na primeira consulta com o pediatra, todos os bebês recebem um enxoval completo e são incluídos no programa de auxílio social. Por esse programa, o Viver e Sorrir doa, durante um ano após a interrupção do aleitamento materno, a quantidade necessária de fórmula láctea para sua adequada nutrição.

Depois, durante o acompanhamento com a equipe multiprofissional, conforme as necessidades de tratamento de cada criança, o Viver e Sorrir viabiliza itens como: órteses, óculos, cadeira de rodas, palmilhas especiais, medicamentos, fraldas, aparelhos ortodônticos, cestas básicas entre outros. Outro motivo de preocupação da equipe do Ambulatório é evitar que as crianças e adolescentes faltem às consultas comprometendo o tratamento. Por isso, as consultas com os especialistas são agendadas sempre que possível para o mesmo dia. E, caso a família necessite, o Viver e Sorrir oferece o vale-transporte.

Acompanhamento Humanizado

No Ambulatório de Prematuros, além do acompanhamento altamente especializado, as crianças, adolescentes e seus familiares encontram também o apoio de voluntárias do Viver e Sorrir que contribuem para tornar o ambiente ainda mais agradável.

São elas que auxiliam no acolhimento dos pacientes e acompanhantes, promovem atividades de entretenimento para as crianças enquanto aguardam pela consulta, preparam e distribuem os lanches servidos, cuidam do bazar, distribuem os benefícios e estimulam a troca de experiências entre as mães.

Por tudo isso, a parceria entre a Unifesp e o Viver e Sorrir tornam o Ambulatório de Prematuros ou a “Casinha” tão especial. Um local, onde as famílias de prematuros graves encontram acompanhamento com profissionais de saúde altamente qualificados, apoio social e emocional para que se sintam seguros e, juntos, possam oferecer a essas crianças e adolescentes melhores condições de saúde e qualidade de vida.

Conheça nosso trabalho e faça parte!

Para mais detalhes sobre o acompanhamento multiprofissional do Ambulatório de Prematuros, assista o vídeo.